Dr. Marcelo Loureiro publica livro sobre hiperidrose

Dr. Marcelo Loureiro acaba de publicar o livro Hyperhidrosis: A Complete Guide to Diagnosis and Management pela Springer – uma das mais importantes editoras científicas do mundo.

Trata-se de uma obra de referência que aborda amplamente o assunto hiperidrose, a doença do suor excessivo.

Dr. Marcelo tornou-se referência no tratamento do suor nos pés por meio do desenvolvimento da técnica que hoje é a mais utilizada, a simpatectomia pelo acesso endoscópico retroperitoneal. Trata a hiperidrose por acreditar na melhora importante da qualidade de vida que a cirurgia pode proporcionar.

Para maiores informações sobre o livro, acesse: https://goo.gl/SJ9nDu



A internação é de um dia na grande maioria dos pacientes. Pacientes de outras cidades são solicitados que venham 1 a 2 dias antes da cirurgia para tratar dos detalhes, verificação de exames e consulta pré-anestésica.
A hiperidrose é um problema quando incomoda.  Ou seja, suar todo mundo sua, mas suar sem estar quente, sem ter praticado atividade física e em quantidades desproporcionais ao que um stress possa naturalmente provocar, isto é hiperidrose. Se este suor acima do "normal" te incomoda, então venha descobrir porque. 
O melhor tratamento vai depender de vários fatores:
  • Qual local da hiperidrose
  • Qual a intensidade
  • Se for em vários locais, onde mais incomoda
  • Quais as expectativas em relação ao tratamento
  • Qual a tolerância para efeitos colaterais
  • Qual a aceitação para um possível cirurgia
  • Qual a compreensão do caráter irreversível de certos tratamentos.
A cirurgia que envolve a retirada ou  a interrupção do nervo chamado nervo simpático, é sim considerada irreversível.  Alguns artifícios vêm sendo utilizados para tentar reverte-las. O mais comum é o uso de clipes para interromper o nervo. Teoricamente, se retirado, poderia se recuperar a função deste nervo.
Porque estes são órgãos de contato, ricos em glândulas sudoríparas. Por serem as mãos, pés e axilas, socialmente expostos, a sudorese em excesso e evidente nestes locais provoca ansiedade e com isto, um ciclo vicioso se alimenta. Mais ansiedade, mais suor, que provoca ainda mais ansiedade.
As cirurgias de hiperidrose são hoje uniformemente feitas por técnicas mini invasivas. No caso da simpatectomia lombar, utilizam-se instrumentos ultrafinos. Tudo isto permite uma cirurgia mais rápida, mais precisa e mais estética.
As pessoas que tem hiperidrose podem diminuir a frequência de seus episódios por meio de algumas medidas:
  • Evitar se alimentar de condimentos como pimentas;
  • Evitar ambientes muito quentes;
  • Evitar ganho de peso e situações de stress frequente.
Alguns minutos apenas e mãos, pés e axilas já param de suar.
“Friozinho na barriga, o coração que palpita acelerado, as mãos molhadas...”
Essa descrição de emoções traduzidas no corpo muitas vezes encontradas nos livros de romances relatam reações comuns. Diferente disso, algumas pessoas suam, molham, transpiram, inundam, excedem.
Suar em excesso incomoda, atrapalha, cheira mal, é vexatório e aparece.
As mãos são o contato com o mundo, o toque, o aperto de mão, o lápis e o papel,  o "touche" do celular, tudo, o tempo todo.
Como não ficar desconfortável com as mãos sempre molhadas, como se tivesse acabado de lava-las? O que vão pensar? Se sentirem nojo da minha mão? Se descobrirem que estou suando também porque estou nervoso, ou suando mais porque suei? Como disfarçar as marcas deixadas da minha transpiração? Como não borrar o que escrevi?
Não poder usar roupas claras pois marca demais as axilas e a “rodela de pizza”. Os antitranspirantes mais fortes não resolvem o odor e o excesso de suor embaixo do braço. Mesmo quando esta frio usar roupa arejada para não marcar o suor.

Ser impedido de usar sandálias. Escorregar ao atravessar a rua do calçadão da praia de chinelos de dedo, ou nem usa-lo. Ter “chulé” mesmo depois dos pés bem lavados, pois já saem suados do banho. Nem pensar em usar hidratante ao fazer as unhas, pois fará suar muito mais. Ser escolhido pelos sapatos que são mais apertados, que aceitam meias de malha, que não fazem feridas pela fricção do suor, ou que evitam a queda.

Estes são alguns relatos de pessoas que suam em excesso. A semelhança entre eles é nunca estar a vontade. O suor em excesso influencia na forma de pensar, de escolher, de colocar a mão, de vestir, de viver e conviver.
Agregar a avaliação psicológica com os tratamentos indicados para eliminar o suor excessivo, produzem resultados mais eficientes e satisfatórios para os pacientes.

O suor (transpiração) é a perda de fluído líquido que é expelido pelas glândulas sudoríparas. O suor tem algumas funções importantes para o corpo humano:

- Regula e resfria a temperatura do corpo para manter o equilíbrio com o ambiente externo.
- Elimina substâncias tóxicas pelos poros.
- Pode ocorrer por fatores emocionais, exercícios físicos ou por mudanças térmicas.

- A produção de suor varia de pessoa para pessoa, dependendo da genética e metabolismo.


Especialista: Dr. Marcelo Loureiro | Paciente: Karin C. P. 
Desde os meus 15 anos sofri com a hiper-hidrose, primeiro iniciou nas mãos, nas axilas e posteriormente nos pés. Eu não falava do problema com ninguém, pois me sentia constrangida. No período escolar, onde a maioria dos jovens sofre preconceito, o lencinho era o meu companheiro inseparável na sala de aula... um horror! 
Com o passar do tempo comecei a perceber que meus pés transpiravam gradativamente, sentia que eles ficavam bem molhados mesmo nos dias mais frios. Não pensei duas vezes para marcar uma consulta com o Dr. Marcelo Loureiro, que me transmitiu toda confiança e segurança para que eu pudesse realizar a cirurgia de simpatectomia Lombar. 
Hoje, eu como “ex-molhada” divido com todos - principalmente com aqueles que ainda estão sofrendo com a hiper-hidrose – e estão inseguros e com medo: Sinto-me outra pessoa após essa intervenção, com autoestima e muito mais confiante, segura e satisfeita com o resultado.
Agradeço a Deus por ter colocado em minha vida o Dr. Marcelo, ele foi fundamental em minha decisão, e através do meu depoimento espero imensamente contribuir de alguma forma com vocês, que estão passando pelo mesmo problema."

Especialista: Dr. Paulo Boscardim | Paciente: Mauri B.
“Minha adolescência e o início da minha vida profissional foram bastante constrangedoras no momento de cumprimentar as pessoas devido à hiperidrose nas mãos.
Quando eu soube que era possível eliminar o suor através de cirurgia não pensei duas vezes.
O Dr. Paulo Boscardim me foi indicado por um profissional de outra especialidade. Uma semana foi o tempo entre a primeira consulta e a cirurgia. Sem dúvida, minha decisão mais acertada! Outra vida após tê-la feito.”


Especialista: Dr. Marcelo Loureiro | Paciente: Daniel C.
"Esperava realizar a simpatectómica lombar a muito tempo, 12 anos, mas sempre fiquei com receio dos efeitos colaterais. É bem difícil encontrar informações sobre o assunto, pois, ao contrário da simpatectómica torácica, são poucos os cirurgiões e pacientes envolvidos nesse tipo de cirurgia. Fiz a cirurgia visando a redução do suor na parte inferior do corpo, cintura para baixo. Pelo que eu entendi da explicação do Dr Marcelo, o maior desafio era fazer a secção dos nervos na altura correta ao longo da cadeia simpática e quanto mais alto fosse a secção melhor seria o resultado para o suor, mas maior o risco de efeito colateral. Hoje, 9 dias depois da cirurgia, posso dizer que não tive o temido problema de ejaculação retrógrada ou impotência, a região da virilha melhorou, os pés secaram e pernas também. As mãos estão um pouco mais frias e não observo acréscimo de suor compensatório no tórax. Em breve pretendo voltar à prática de atividades físicas e descobrir como será o comportamento do suor nessa circunstância."
Sem dúvidas, o dermatologista deve ser o primeiro profissional a ser procurado.
O suor se exprime pela pele. Nela ele pode provocar consequências como odor desagradável e infecções. Um dermatologista treinado e interessado neste assunto vai saber como avaliar e tratar inicialmente sua hiperidrose.
Tem cura sim.
Medicamentos, iontoforese e substancias de uso tópico não curam. Mas os tratamentos cirúrgicos podem curar definitivamente a hiperidrose das mãos, axilas e pés.
O nervo simpático existe em todas as pessoas. Ele é responsável por parte das ações involuntárias do nosso corpo. Entre estas funções, a sudorese. Em algumas pessoas, este nervo responde de forma exagerada a estímulos de stress, em especial os gerados pela ansiedade. Isto é HH, ou seja, a produção em excesso de suor provocado pela estimulo exagerado conduzido pelo nervo simpático. Assim, o nervo funciona como gerador do estimulo. Atuar na geração do estimulo, (no Sistema Límbico) é algo ainda muito além da nossa capacidade de intervenção.
O efeito colateral mais comum da cirurgia é conhecido como hiperidrose reflexa ou compensatória.
A pessoa para de suar no lugar onde se queixava e começa a suar em outras regiões do corpo. Por isso, em alguns pacientes, utilizamos a técnica da clipagem, sem realizar o corte. Assim, em caso de compensação, é possível retirar esse clipe para tentar reverter.

Realizamos a cirurgia de suor nos pés (simpatectomia lombar) também em São Paulo.

Para maiores informações, exclusivamente sobre esta cirurgia, entrar em contato pelos telefones:
São Paulo (11) 3437-3228
Campinas: (19) 3233-6221 / (19) 3233-9840

POSSUI
DÚVIDAS?

Pergunte aos nossos especialistas